O APRENDIZ – AS MELHORES ESCOLHAS E OS MELHORES VENCEDORES

Por Alvaro Luiz Matos

27 de junho de 2014


Tenho o costume de ver e rever O APRENDIZ com certa frequência, por entender que se trata de um programa bastante atemporal e essencial para profissionais dos mais diversos ramos. E eu, como “Bacharel em Administração” entendo que ainda há muito a aprender com tudo o que nos é apresentado pelo programa, seja de fórum comportamental ou de maneira técnica.

Por isso, vou relembrar aqui todos os finais de temporada e todos os vencedores, analisando como o “crítico televisivo” que sou, mas também de forma profissional. 

APRENDIZ 1

A Viviane talvez tenha sido a melhor contratação de todas até hoje no Aprendiz. Não que seja a melhor profissional (ou até seja), mas a garra e a determinação, o carisma, o crescimento e o tanto que ela foi valorizada pelo próprio Justus daquela temporada até hoje, mostra que existe sim a pessoa certa pra vaga certa.

O Denis não era um concorrente fácil, foi sempre muito bem, sempre maduro, soube lidar com as tarefas e vence-las de forma serena e bastante eficiente. Ele era o presente, e a Viviane um futuro muito claro e definido, não dava pra deixar passar alguém com tanto talento e que mostra um potencial excepcional de evolução, mesmo que fosse para perder um talento pronto como o do Denis.
APRENDIZ 2

Com os candidatos que chegaram à final pra mim era fácil decidir que o Porcel seria o vencedor, mas se a final tivesse sido com a Mel, ou com o Junior, as coisas seriam mais difíceis para ele. Acontece é que a Tatiana acumulou antipatias, seus colegas não torciam por ela e mesmo eficiente, tinha o costume de atropelar seus liderados, já o Porcel foi um dos que mais mostraram evolução e resiliência durante o programa.

Entre a forte eficiência de Tati e o jeito agregador de Porcel a única diferença que poderia mudar a cabeça de Justus era entender que ela queria trabalhar com ele, estava obcecada pela sua companhia e pelo emprego, já o Porcel nunca pareceu querer isso, parecia mais interessado no prêmio e em utiliza-lo para poder empreender. Talvez o candidato certo na temporada errada.

Talvez tenha sido fundamental para a escolha a última sala de reunião, na qual o Porcel mesmo muito nervoso mostrou já ter sua estratégia traçada ao dar respostas um pouco mais objetivas, enquanto a Tatiana se enrolava em respostas extensas demais, e muito pouco objetivas.
APRENDIZ 3

A Beatriz chegou a final atropelando e destruindo, gênio forte, duro, bastante imponente e obviamente eficiente. Porem o espirito desagregador da concorrente foi muito explorado e lhe fez um alvo fácil na final. Minha torcida dizia que a Karine deveria ter saído à campeã daquela temporada, mas ela saiu de maneira justa após apresentar queda no seu ótimo rendimento.

Portanto ficou fácil para o Anselmo vencer o Aprendiz 3, pois mostrou um crescimento muito grande durante os episódios, foi flexível, absorveu conhecimentos e agregou valor em quase todas as provas (mesmo com ideias ruins em uma ou outra atuação).
Nessa final ele mostrou ser o mais preparado tecnicamente e principalmente emocionalmente e mesmo sendo acusado de não ter ênfase, em contraste com a tempestuosa Beatriz, mostrou que seu jeito gerava resultados.
APRENDIZ 4 – O Sócio

Criatividade e visão de negócios podem se completar, mas quando cada um dos finalistas apresenta uma dessas características, como escolher a opção correta?

Nessa temporada tínhamos novamente a dúvida entre um candidato mais completo e uma candidata com mais futuro, porem a procura de um sócio é muito importante escolher alguém com experiência e rodagem. Pensando assim parece fácil, mas essa mesma candidata com menor experiência e pouca visão de negócios foi a maior vencedora da temporada, esteve pouco na segunda parte da sala e arrebentou na semifinal (até então inédita) onde os concorrentes não tinham nada e precisavam fazer dinheiro.

Assim a decisão entre a criatividade e a visão de negócios, entre a Mariana e o Tiago, se tornou algo bastante difícil. Mas nem tudo eram qualidades, ele era bastante prepotente e alto confiante, mesmo que não tenha gerado tantos resultados assim, ela era autoritária e dona da verdade.

No meio disso tudo o projeto do Tiago foi o que fez a diferença para que ele se tornasse “O Sócio”.
APRENDIZ 5 – O Sócio 2

Talvez essa tenha sido a escolha mais fácil de todas feitas pelo Roberto Justus, mas duvido que ele concorde comigo nessa frase. Acontece que o Clodoaldo foi durante o programa todo o competidor mais disposto a aprender e mais assertivo com seus erros.

Já o Henrique poderia até mesmo não chegar à final se não fossem alguns pisoes na bola como a desistência da Adriana Gaspar, o ato “suicida” da Sandra e a tão querida vinícola do Danilo. Sem falar do resultado nulo do Daniel na semifinal, candidato esse que não só tinha todos os requisitos para chegar a final.

Com uma visão sobre o Show era obvio que todos estavam ansiosos para ver Clodoaldo vencedor já que o público tinha uma recusa enorme pelo Henrique. Pela ótica profissional acredito que a grande estabilidade de Henrique e os discursos desconexos de alguém que já tinha sido grandioso em todos os mercados e não tinha nada em mãos lhe tornava um risco muito grande.
APRENDIZ 6 – Universitário

Equilíbrio e evolução foram os pontos fortes da Marina durante o primeiro aprendiz universitário e certamente muitos pensaram lá no início que ela fosse frágil e dócil, mas ao se julgar pela casca é difícil analisar-se um perfil profissional. A Karina foi sem dúvida a queridinha da temporada, foi muito bem no início, mas caiu de forma drástica e passou a colecionar derrotas e más atuações na reta final do programa (embora tenha vencido a prova final).

Dessa forma a análise feita foi de que o crescimento gradual da Marina representava maior poder de resiliência, maior poder de aprendizado e maior rendimento nas adversidades. Já a Karine mostrou que quanto maior a pressão e quanto mais ela precisava brilhar individualmente, mas ela sentia dificuldades. Assim, a decisão de dar a vitória a Marina foi acertada e naquele momento a melhor.
APRENDIZ 7 – Universitário

A pior temporada de todas, um acumulo de erros que vinham desde as “demissões com doçura” do João Dória até o baixo rendimento dos candidatos. O programa só foi ficar bom lá para o final, onde alguns candidatos já haviam sido demitidos.

A escolha pode gerar bastante polêmica, o queridinho do público era o Solano, mas ele se provou criativo, mas ainda um pouco imaturo, um pouco despreparado, principalmente na final onde ele pareceu um pouco perdido. Já a Samara também não era unanimidade, não havia um candidato excepcional e pela maior experiência e maior preparo da Samara a fez vencedora com certo mérito.
APRENDIZ 8

Quem sou eu pra discordar de um executivo de sucesso? Pois é, mas devo discordar fortemente da escolha estapafúrdia feita por João Dória Junior nessa final.

Essa foi uma temporada tão ruim quanto a primeira que chegou ao cúmulo de ter demissões que eram “sacrifícios” pra avisar aos concorrentes que eles precisavam ser menos “medíocres”.

A Janaina, vencedora daquele ano, foi muito mal em diversas provas, omissa em outras, ideias ruins e execuções falhas. Enquanto do outro lado uma concorrente que foi a melhor líder da temporada, que venceu mais provas, planejou, executou, demonstrou maior empenho e perdeu a final por uma escolha atrapalhada do João Dória.

Pra mim a pior escolha e a pior final de todas.
APRENDIZ 9 – O Retorno

A melhor final que já assisti entre todos os programas, pra mim o melhor elenco já formado para o programa, um numero muito grande de candidatos que poderiam vencer, que mereciam vencer. Claro, para mim podia ser melhor, e por isso elenquei 16 outros candidatos que poderiam também formar um novo Aprendiz – O retorno (postagem que deverá ir ao ar na próxima semana).

Mas o objetivo aqui é falar da final e vamos em frente. A Renata foi a maior injustiçada que uma final de aprendiz já proporcionou (como mencionado acima) e a Mel é sem dúvida a candidata mais aguerrida de todas. Por isso a melhor final também foi a final mais difícil, a mais torcida e a mais esperada por mim.

Eu tinha sim minha favorita, mas também tinha a opinião de que se “a outra” vencesse não teria sido uma escolha errada e talvez essa tenha sido a única vez que poderíamos dizer isso com sinceridade no olhar. Minha favorita venceu, uma injustiça foi recompensada, a decisão foi na curva, foi cabeça a cabeça e a Renata Tolentino venceu a também eficiente e profissionalíssima Mel.

E só pra finalizar, adivinhem quem era a candidata mais carismática? Pois é, temos demonstrações extras de que isso faz uma diferença enorme. Então que fique a dica pra quem quer seguir uma carreira profissional de sucesso.

Pra você que é fã daquele Aprendiz tradicional, com candidatos profissionais, na próxima semana iremos postar um texto indicando candidatos que poderiam retornar ao programa. E olha, tem muita gente boa. Fique Ligado.


Comentário(s)
0 Comentário(s)