CONHEÇA: THE GOODWIN GAMES

Por Alvaro Luiz Matos

18 de abril de 2014


Dos mesmos roteiristas de HIMYM, sem o mesmo sucesso, mas com a mesma qualidade.

Pra mim foi uma das maiores perdas da televisão americana nos últimos anos, já que se tratava de uma série muito bem montada, muito bem planejada e com um futuro incrível.

A premissa busca aproximar três irmãos bem diferentes após a morte de seu pai.O que diferencia essa história é a forma que eles tem de ser aproximar, pois a cada episódio o pai deles aparecia em uma fita gravada, prevendo e criando jogos para que eles pudessem ajudar uns aos outros, na busca pela a herança do "velho".

Me interessei muito com a disputa entre irmãos, ainda mais por saber que cada um tem uma particularidade estranha e que no fundo não temos nenhum vilão. É interessante perceber também que a série se propunha a criar uma mitologia nova (muito típico de Carter Bays, Craig Thomas e Chris Harris). Muitos aspectos foram repetidos diversas vezes com o intuito de ficar na cabeça dos espectadores, como, por exemplo, as fitas cassetes onde foram gravadas as dicas para o jogo.
É extremamente importante valorizar uma série que se propunha a criar uma nova perspectiva e entender que para isso ela também precisava de tempo. O que posso dizer com o poucos episódios exibidos é que a dinâmica da série é rápida, cenário bem feito, roteiro interessante e que o objetivo não era fazer apenas piadas rápidas e manjadas (e sim construí-las com o tempo) e que os atores foram bem escolhidos. Vale destacar também que cada personagem foi aprofundado durante os episódios, planejando uma continuidade que não veio.

Porem, mesmo com pouquíssimos episódios exibidos a primeira tentativa de fazer uma nova série dos autores de HIMYM foi eficaz, mas não emplacou na audiência. A qualidade é eminente e o planejamento também, portanto se quiser rir e não ter um compromisso com a série que vai assistir, arrisque The Goodwin Games.



Assista a promo da série:
Comentário(s)
0 Comentário(s)