REIGN - S01E14 - DIRTY LAUNDRY

Por Nicole Chaves

20 de março de 2014



SPOILERS ABAIXO:
A volta da rotina na corte francesa.


Essa semana a série apresentou um episódio bem significativo que demonstra as tramas que deverão ser exploradas pelo resto da temporada. Mary e Francis retornam da lua de mel, após o grande casamento e Notre Dame.


A importância disso tudo é que se passaram dois meses desde o último episódio e agora o casal deverá voltar a rotina de intrigas, traições e conspirações políticas tão presente na corte.


E assim que eles chegam já percebem que o clima está tenso, com Henry tendo que lidar com toda a diplomacia necessária para evitar uma guerra com a Boêmia. O arquiduque é facilmente contornado tanto pelo rei da França como por sua amante, Kenna, que ainda está na busca por um marido rico e idiota.


O problema é que Kenna acaba prejudicada, pois Henry “mata” sem querer a irmã do arquiduque, perdendo qualquer oportunidade de se casar com a realeza de Boêmia. Apesar de sempre ter achado Kenna a dama mais chata e insuportável, fiquei feliz com ela ficando no castelo.


Afinal, desde o episódio passado a personagem deu uma virada de 180 graus, mostrando que pode ser tão ardilosa quanto Catherine e Diane. Ela não apenas conseguiu enganar muito bem o arquiduque, como descobriu a gravidez de Lola, “auxiliando” a amiga a encontrar uma maneira de fazer um aborto.


Mas voltando para toda a morte da irmã do arquiduque, Catherine, mais uma vez, demonstra a razão de ser tão poderosa. Henry sabe que os defeitos da esposa podem se aplicar como qualidades na ocasião e rapidamente troca o presente de Diane por uma solução. 



Como não rir de Henry perguntando como os servos limpam as roupas e Catherine não sabendo explicar em detalhes? Sem falar na carta suicida com toques sexuais? Aliás, um episódio cheio de cenas cômicas, inclusive com o modo como Catherine consegue convencer o arquiduque que irmã tinha um romance com o padre morto por Olivia.


Mais uma vez, Catherine mostra sua superioridade em relação ao marido, provando seu valor como rainha e ainda esnobando-o. Não tiro a razão dela, pois foi apenas dois episódios atrás que ele estava sedento por vingança, querendo matá-la a qualquer custo.


Enquanto isso, Bash não foi realmente embora, vivendo na floresta. Ele conhece Rowan, o novo interesse amoroso, visto que Mary aceita a ajuda dele, mas ainda é fiel a Francis. O importante mesmo de Bash nas florestas foi o reencontro com Olivia, que pensávamos estar morta.


A ex amante de Francis não está morta, mas louca. Tão louca que mata padres enquanto dorme, deixando Nostradamus receoso das previsões sobre um grande mal que está por vir. Mary ainda não sabe sobre o retorno de Olivia, mas descobriu sobre a ameaça contra Bash.



Francis nega que tenha mandado matar o irmão e acredito que isso tenha sido mesmo de Catherine. A rainha sempre odiou Diane e o filho e tinha mais motivos do que nunca para se livrar do bastardo que tentou tirar o trono do seu filho.


A questão é que mesmo sem querer, o retorno de Bash é fundamental para ajudar Mary a impedir que Lola faça o aborto. Os roteiristas decidiram ir pelo caminho menos clichê, com Mary já sabe do filho bastardo do marido.


E quando a gente pensa que a bondade de Mary tem limites, ela não só ajuda salvar o filho do marido, como aceita esconder de Francis a pedido da Lola. Sério, podem mandar canonizar Mary, a rainha da Escócia, pois não consigo imaginar uma mulher não santa para conseguir essa proeza.


Após esse episódio, podemos concluir que Olivia estava errada: O mal não está vindo, ele já chegou na corte francesa.


#ThatsMyOpinion


Assista a promo do próximo episódio:


Comentário(s)
0 Comentário(s)