PRIMEIRAS IMPRESSÕES: MIXOLOGY

Por Laohana

20 de março de 2014



Ou melhor dizendo, as três primeiras impressões do seriado que conta a história de dez solteiros em um bar por uma noite.


O primeiro episódio já começa nos dando a ideia de que toda a história do seriado irá se passar naquela noite em que aqueles grupos de solteiros foram para um bar e todos a procura de um amor. Mas será que as histórias vão ser tão interessante a ponto de prender os telespectadores?
Para quem começa a assistir já de cara pensa que todos eles se conhecem ou que ao longo da história irão se conhecer. Quem pensa da segunda forma, está correto.

O roteiro é escrito de forma que a história de um solteiro que está naquele bar se conecta de certa forma com outro solteiro.

O episódio piloto é focado em um clichê a parte: a história de um apaixonado incompreendido (Tom) que foi largado pela noiva e está no bar para tentar voltar à ativa, e acaba se interessando justamente por uma das mulheres mais complicadas e duronas de se conquistar dali (Maya), que é uma mulher totalmente desapegada aos sentimentos e indiferente em seus relacionamentos. Acredito que de forma bem previsível, aos poucos, Maya vai acabar se amolecendo pelo jeito de Tom e cedendo.
De certa forma, no segundo episódio a storyline deles meio que segue rolando, mesmo que o episódio esteja focado em outras duas pessoas.  E apesar de o seriado só ter três episódios, já deu pra perceber que seja provável que os episódios vão seguir neste mesmo estilo, mesmo com o episódio focando em outras histórias, aquela história anterior irá seguir acontecendo ao redor, o que é um toque  bem legal pro seriado pois as histórias acabam não sendo esquecidas e  tomam seu rumo ao longo da noite.

O mais interessante é a forma como cada acontecimento de um episódio (mesmo que pareça ruim na hora) acaba contribuindo para a história do próximo – ou próximos. Vejamos pelo primeiro episódio que rolou a cena de um encontro que acabou em desastre, o que parecia péssimo na hora e que não teria nenhuma continuidade acabou contribuindo para a história do segundo episódio.

O britânico (Ron) já sem esperança nenhuma de um encontro naquela noite, acaba ficando desolado na rua e por acaso acaba se encantando por uma moça (Liv) que vai atender uma ligação no lado de fora do bar. Liv não esperava nada daquela noite além de tomar alguns drinks na saída com sua amiga Maya, e acaba que a noite se torna surpreendente, trazendo à tona todas as possibilidades de vida que ela poderia ter se não fosse tão politicamente correta em tudo o que faz. Vendo o relacionamento em que Liv está no momento, confesso que me deixou um pouco entediada em como eles são corretos, perfeitinhos e acredito que Liv também deveria estar se perguntando isso, né? E viu em Ron a oportunidade de uma vida excitante, diferente da que ela tem em que tudo é muito previsível.
E já que o tal quase-encontro foi um desastre para os dois, a mãe solteirona (Jessica) acaba se encantando pelo charme do barman e ao invés de encerrar a noite por ali, resolve por ficar para tomar mais alguns drinks e ver onde essa noite poderá acabar.

 O que nos leva ao terceiro episódio, onde já começa com o que achamos ser possível arrependimento de Jessica por ter seguido no bar, ela começa levando uma cantada grotesca de um estranho (Bruce), que segue indo até ela em diversas outras inoportunas vezes. A atriz que interpreta Jessica é bem carismática, uma das melhores atuações até agora. Nesse episódio ainda temos algumas ideias do romântico incompreendido Tom, com uma piadinha que é bem visada em todo seriado de comédia nesse estilo em que temos um cara romântico num grupo de amigos pegadores. E a storyline de Liv e Ron rolando, com ela tentando usar essa nova possível amizade como uma oportunidade para arriscar mais em sua vida, o que acabou se tornando o melhor plot desse episódio, um pouco previsível, mas legal a forma como o relacionamento entre os dois foi progredindo ao passar da noite. E acabou que eu estou até que torcendo para que Liv não siga com o seu casamento e se entregue para Ron, o que provavelmente irá acontecer.

Quanto a história central deste episódio, achei Bruce bem inconveniente e nada convincente a atuação do ator que o interpreta, trazendo para nós apenas mais um cafajeste que tenta seduzir uma mulher que no começo não consegue, mas depois acaba encontrando uma forma de TALVEZ fazê-la mudar de ideia com um discurso bonitinho. Acho que seria interessante caso Jessica realmente fizesse Bruce mudar de atitude.

Agora, basta aguardar para ver que desfecho os outros personagens irão tomar. Já previsto que o próximo episódio será focado em Kasey e Cal, que no final do terceiro episódio acabam de se conhecer. Pelo que vi dos personagens espero que esse próximo episódio tome um caminho bem diferente dos outros, e mais interessante.
Ao meu ver, seria bom para o segmento da série uma tentativa de não se prender tanto somente nas histórias acontecendo naquela mesma noite e na tentativa de formar casais dentre estes dez personagens. Uma possibilidade legal seriam episódios em outras noites no bar, com algumas reviravoltas e porque não com novos personagens? Para dar uma diferenciada. Pois se a temática for seguida a risca, com tudo ocorrendo naquela noite SOMENTE com estes dez solteiros temo que ao longo da temporada muitos detalhes poderão ficar perdidos, muitas histórias sem uma boa continuidade e falta de acontecimentos – ou até mesmo um excesso deles. Porque honestamente não vejo muitas possibilidades de acontecimentos em uma só noite tendo tão poucos personagens e alguns solteiros já estando conectados, sendo assim o segmento das histórias poderá vir a se tornar cansativo, exagerado e acabando de forma que todo o público já espera: Somente finais felizes entre os casais já formados.

Vale apostar no seriado se você procura assistir séries para passar o tempo: que são bem leves e divertidas de se assistir, sem muitas piadas mirabolantes. E vai valer muito mais apostar se os plots forem direcionados também á outras noites contribuindo para um progresso maior na história dos personagens.

Comentário(s)
0 Comentário(s)