RETROSPECTIVA: O MEU MUNDO DAS SÉRIES EM 2013

Por Alvaro Luiz Matos

3 de dezembro de 2013


2013 para mim no mundo das séries foi praticamente um desespero. Nesse único ano perdi três das minhas séries favoritas e tive a confirmação do final de uma quarta. Ou seja, nada de se comemorar não é? Mas até que tenho motivos para sorrir.

O primeiro motivo estrapola o mundo das séries. Nesse ano o Séries Em Foco ganhou notoriedade e passou a ser um site bastante movimentado, passamos de 3 ou 4 colaboradores para mais de 15 e aumentamos a audiência de forma absurda. Paralelo a isso eu ia me despedindo das minhas séries e sofrendo com a chegada do final de Spartacus, Burn Notice e Dexter.

Spartacus para muitos é apenas pancadaria, mas quem assistiu a série soube entender toda a jogada política e a procura pela glória em que a cidade de Cápua viveu (e obviamente Roma). A série se despediu apresentando uma temporada sensacional e fechou seu ciclo ainda quando estava por cima.

Já Burn Notice é muito desvalorizada no mundo das séries, mas sua leveza e simplicidade são parâmetros fundamentais para que a série nos entregasse tantas temporadas cheias de ação e conspiração. Seu encerramento também se deu da forma certa e na hora certa, e isso me agrada muito.

Dexter foi (e é) a minha série favorita, mas não tem como não dizer que os roteiristas perderam a mão e o senso crítico. Durante alguns instantes imaginei que não tinham o interesse criativo de terminar por cima, mas sim a vontade de terminar antes que estragassem ainda mais. O final foi polêmico e extremamente questionável.
Porem conheci novas séries que passaram a fazer parte da minha grade. Hannibal foi sensacional sem tirar e nem por, e o que mais me assusta é saber que se trata de uma produção apresentada na NBC. A série foi uma grande surpresa e ganhou um status importante entre as minhas “novas” séries favoritas.

Outra série que me agradou demais e deu prazer em assistir foi Banshee. Sei que poucas pessoas assistiram, mas não da pra perder uma produção de Alan Ball e não se jogar no micro mundo do interior que ele cria. Tudo lá é fantasioso, pretensioso e alucinante.

Estou gostando muito também de Sleepy Hollow, que apesar de se apresentar com um plot tão besta e se vender minimalista ela é gigante aos olhos de quem assiste. A série é envolvente demais e consegue manter o clima de terror e revelação na mente dos espectadores.
Por fim, Orphan Black, que demorei a assistir, mas quando a vi foi um episódio atrás do outro. A Série junta tudo o que eu mais gosto, ela é alucinante, tem conspirações, tem diálogos, levanta questionamentos e é envolvente.

Pra terminar vale dizer que minha maior decepção neste ano atende pelo nome de The Following, onde mesmo com o arco certo, atores certos e o roteirista certo, conseguiram fazer uma série muito diminuta.

Esse é o meu balanço para o meu ano sobre as séries, e o seu? O que te agradou? O que te decepcionou? Conte para nós e comente.

Obs.: Ainda me despedi de Luther, com uma última temporada um pouco aquém da série.


Veja a promo da segunda temporada de Orphan Black:
Comentário(s)
0 Comentário(s)