PRIMEIRAS IMPRESSÕES - ELEMENTARY (EPISÓDIOS 01,02 e 03)

Por Alvaro Luiz Matos

24 de outubro de 2012

AlvaroLuizMatos - @AlvaroLuizMatos

 SPOILERS ABAIXO:
E não é que é tudo muito bem montado?
Nunca esperei genialidade, mas acabei encontrando muita qualidade.

Quando foram noticiadas as novas séries para a Fall Season escolhi algumas que minha intuição imaginara ter qualidade. Elementary foi criticada desde o inicio por todos aqueles que são fãs de Sherlock Homes e já iniciou sua temporada com um pré-conceito negativo muito forte, por outro lado despertou a curiosidade das mesmas pessoas e trouxe pra si uma boa audiência.

Ciente da renovação da série podemos analisa-la como um procedural e desossar toda a sua estrutura. Claro que não poderemos comparar à maravilhosa Sherlock Homes exibida pela BBC de Londres, mas podemos sim analisar os aspectos que dão qualidade a essa série.

Que tal começarmos pelo cenário? A ideia de aproximar à realidade britânica a vida de Nova York a principio parece loucura, porem com um cenário apropriado isso se torna irrelevante. A sofisticação unida ao conservadorismo na hora de se montar o local em que vive Sherlock é um dos trunfos utilizados para ambientar o personagem a uma cidade totalmente diferente de Londres.

O próprio personagem traz em si o sotaque britânico o que faz com que os fãs mais calorosos relevem está mudança. Ainda sobre a construção do personagem fica nítido a ansiedade e a intolerância a espera típicas de Sherlock Homes.

A presença de Lucy Liu também pode ser alvo de criticas, muitos não gostam do trabalho da atriz e gostam ainda menos da mudança completa do personagem Watson, vivido agora por uma mulher. Eu particularmente gosto do trabalho da atriz, e com certeza a opção de mudança foi para trazer uma dinâmica diferente para a série.

Ainda não vi em Elementary nenhuma iniciativa de trazer contigo parte da história já existente sobre tal personagem, reforçando a ideia de que o principal objetivo da série é criar um procedural de qualidade que é característica da CBS.

Sobre os episódios, o primeiro teve o intuito de nos apresentar os personagens e mostrar um pouco das características que são diferenciais de Sherlock Homes, o caso foi bem montado porem não demandou uma dificuldade enorme para o personagem. O segundo mostrou um pouco mais da dinâmica entre Watson e Sherlock inserindo na história alguns personagens que deveram ser importantes para a série, o caso foi interessante e cheio de reviravoltas, eu particularmente me empolguei com as desconfianças e me decepcionei com o final estilo “The Mentalist” mostrando uma encenação para enganar o publico e a vilã. Já o terceiro episódio merece os meus parabéns.

Procedurais que agregam um Serial Killer a sua história acaba por muitas vezes se saírem bem. O caso sobre o homem do balões foi muito bem montado e roteirizado, os episódios veem seguindo uma linha de investigação muito boa e criam com isso arcos interessantes e empolgantes. Vale dizer ainda que a provável pena do verdadeiro assassino deve ser pequena o que demonstra que os roteiristas já pensam no futuro da série e em um possível retorno do personagem.

Jonny Lee Miller parece a cada dia mais confortável com o papel, criando traços muito bem desenvolvidas para um personagem que lida com uma inteligência anormal e convive com a luta contra a dependência. Os casos não esbarram na obviedade de passarmos 50 minutos acreditando saber quem é o culpado, a série desenvolve uma crescente nos episódios que tornam assistir Elementary algo gostoso e interessante de ver.

Compartilhe, comente e faça parte do Séries Em Foco


Veja a promo do próximo episódio de ELEMENTARY:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentário(s)
0 Comentário(s)