DEXTER - S07E01: ARE YOU...?

Por Alvaro Luiz Matos

2 de outubro de 2012

Por: AlvaroLuizMatos

 SPOILERS ABAIXO:
Alguns irão dizer “nossa mais Deb aceitou tudo muito fácil e ainda o ajudou a encenar uma história de suicídio”. E eu vos direi que a coerência é o ponto forte da série, primeiro porque ela não vai aceitar tudo tão fácil e depois porque Deb sempre protegeu seu irmão, mesmo quando não sabia que ele não precisaria ser protegido. Trazer a responsabilidade para si é uma característica dela, sempre houve momentos que mesmo fraca e desacreditada, Deb, se jogou de frente para ajudar seu irmão.

Os roteiristas vieram para a temporada com um planejamento, visivelmente, a longo prazo e uniram o fato de Deb ter conhecido um pouco sobre o verdadeiro Dexter ao fato de se desenterrar o arco da segunda temporada. Quando Dexter deixa cair, sem perceber, sua amostra de sangue quase que automaticamente nos lembramos de que essas amostras foram as principais provas para que se incriminasse Doakes no inicio da série. Isso unido às primeiras cenas do episódio, no qual Dexter aparece, provavelmente, fugindo, cria uma expectativa enorme para os espectadores. (Mesmo quando a viagem é justificada e afasta a possibilidade de fuga)

A desconfiança de Deb é justificada em suas lembranças, eu particularmente achei que ela ligaria o caso Travis ao momento em que quase pegou Dexter e Lumen em ação, mas a memória dela vai mais além e faz ligações com o caso de Brian. Com isso algumas chamas se acendem e fazem com que ela se atente com maior clareza aos passos de Dexter.

Essa sensação de que o cerco está se fechando é conflitante, e acredito que muito de vocês leitores irão concordar comigo. Ao mesmo tempo em que queremos Dexter imune e a salvo queremos também que Deb descubra a verdade. Assim todos os momentos em que Deb relaciona algo importante ficamos aflitos com o desenrolar da história.
E ai vem à cena final, aquela aflição toda toma corpo em nossas mentes, de repente nos deparamos com Deb e Dexter frente a frente com a verdade. Se pensávamos que os produtores iriam cozinhar a verdade de um episódio para o outro, eles vieram e nos despejaram um show de coerência. Fizeram com que a descoberta fosse mais do que Deb o pegando em ação, fizeram com que essa descoberta fosse feita ligando pontos e memórias reprimidas, fizeram com que fosse orgânica e investigativa.

Dexter nos apresenta um episódio bem construído, digno da série que conhecemos e amamos. A evolução e o caminhar da série parece definido, temos vilões invisíveis em sua vida, não existe aqui um grande assassino. Vários arcos estão voltados convergindo para Dexter Morgan, temos a descoberta de Deb abalando suas emoções, temos LaGuerta querendo inocentar o falecido Doakes, temos um maluco investigando Dexter desde a temporada passada e vimos que o ultimo assassinato de Dexter pode ter mexido com gente importante.

Vale comentar a bela atuação de Michael C. Hall, parece existir uma motivação nova para o ator e para a série, já que vimos novamente um clima pesado e inteligente que transforma a atmosfera da série em algo próprio. Essa atmosfera, calma e ao mesmo tempo intrigante, havia sido alterada nas ultimas duas temporadas por uma atmosfera um pouco mais descontrolada e afobada. Isso gera uma sensação de que todos (Michael C. Hall também é Co produtor) sabem o que estão planejando para o andamento da série.

Obs.:1: Os flashbacks do episódio agregaram muito a história e ao arco vivenciado nesse momento na série.

Obs.:2: Falei de Michael C. Hall, mas devo elogiar também Jennifer Carpenter.  Para quem viu as primeiras temporadas irá se lembrar de que ela era uma atriz limitada e hoje uma atriz talentosíssima.

Veja a promo do episódio de DEXTER:
Não deixe de comentar deixando sua opinião sobre o episódio e sobre o texto:

Gostou da postagem? Nos ajude a divulgar compartilhando: Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentário(s)
1 Comentário(s)